>>>A ilha das máquinas
Foto: Copyright: Jean-Dominique Billaud/LVAN

A ilha das máquinas

O que pode acontecer quando se junta a imaginação de Júlio Verne e a inteligência de Leonardo Da Vinci? A resposta está em Nantes e nas suas máquinas vivas.
U
m elefante de 12 m de altura emerge de um pavilhão industrial nas margens do Loire, na cidade de Nantes. Os residentes e os visitantes não se assustam: contemplam o paquiderme, de 48 t de aço e madeira, que avança lentamente, emitindo sons e expelindo água pela tromba. Para o seu dorso subiram alguns turistas para participar no passeio de 30 minutos que o animal realiza pela Île de Nantes, uma ilha fluvial no coração da cidade. Um percurso pelos mundos mágicos que povoavam a imaginação de Júlio Verne, o habitante mais célebre desta cidade da bretanha francesa. “Virá o dia em que as criações da ciência superarão as da imaginação.” – disse o autor de A volta ao mundo em 80 dias. Foi profético: estas máquinas superam os sonhos de qualquer alma, infantil ou adulta.
A aranha transporta quatro visitantes quando acorda e sai do seu buraco escuro.
Foto: Copyright: Jean-Dominique Billaud/LVAN  

Até as ondas são mecânicas

O Carrousel des Mondes Marins, em frente ao Museu Júlio Verne, é um aquário guardado por 16 pescadores provenientes de todos os oceanos. O visitante poderá interagir com criaturas abissais como a Lula a retropropulsão, o Caranguejo gigante ou o Peixe pirata.

O Grand Èlephant converteu-se no símbolo extraoficial da cidade, protagonizando até postais e souvenirs. É também o emblema da companhia de teatro de rua La Machine, que pertence ao projeto artístico Les Machines de l’île, desenvolvido nos antigos estaleiros da cidade. O ponto de partida dos passeios diários do Grand Èlephant são os pavilhões das oficinas de caldeiraria pesada. Hoje as oníricas criaturas de Nantes formam um atípico parque de diversões ao ar livre.
O Taller é o navio onde nascem todas as machines, esculturas fantásticas que ganham vida graças aos mecanismos do seu esqueleto. A partir dos passadiços debruçados sobre o trabalho diário dos artesãos, os visitantes puderam assistir ao processo de criação de uma garça voadora gigante, uma jamanta, um dragão chinês ou uma enorme aranha. No entanto, nesta oficina-laboratório os detalhes apenas podem ser intuídos, os fabricantes têm o cuidado de revelar o resultado definitivo somente no final.
O Carrousel des Mondes Marins ganhou o prémio Thea, em 2014, por ser considerado uma “realização excecional” e uma “instalação de arte única”
Foto: Copyright: Jean_Dominique Billaud Nantes
Em frente ao Taller fica a Galeria, que alberga um bestiário de máquinas para acionar e experimentar. É o cenário que permite conhecer o grande projeto da companhia, que ainda está em estudo: o Arbre aux Hérons, uma árvore de aço de 50 m de diâmetro e 35 m de altura que será construída, caso se confirme a sua viabilidade, no centro da cidade. Será encimada por duas garças mecânicas e povoada por criaturas que transportarão o visitante entre os seus terraços e passagens. De momento, podemos subir ao seu único ramo construído, que fica na entrada da Galeria.
O Caranguejo Gigante, o Peixe Pirata ou o Barco Tempestade podem ser montados e acionados pelos visitantes.
Foto: Copyright: © Franck Tomps
Os seres fantásticos ganham vida com os mecanismos robóticos e a ação dos cenógrafos François Delarozière e Pierre Orefice, que são os pais das criaturas e do projeto artístico que une os mundos inventados de Júlio Verne, o imaginário mecânico de Leonardo Da Vinci e a história industrial da cidade de Nantes. O objetivo das suas esculturas vivas é “sonhar as cidades futuras e transformar a visão que temos do nosso espaço urbano”. Pode parecer uma quimera, mas já dizia Verne: “Se prestarmos atenção aos loucos, faremos grandes descobertas”.

Artigos relacionados

Os planos mais assustadores para o Halloween

Vestir a pele de um preso, caminhar por uma viela assombrada por fantasmas ou “dormir” num hotel rodeado de fenómenos...

Caçadores de grafíti

Capturar a cor na uniformidade da tela urbana e encontrar as melhores obras escondidas em muros e fachadas. Eis o...

Como entrar no seu filme preferido

Quer regressar ao futuro num DeLorean ou sucumbir ao poder da força no bar de Mos Eisley? Veja como e...

Hotéis para mitómanos

Foram os lares de autênticas celebridades, testemunhos mudos da genialidade deles e de um ou outro affaire.