>>>Amor à primeira vista em Santiago

Amor à primeira vista em Santiago

Há quem precise de tempo para conhecer uma cidade, mas Santiago do Chile é amor à primeira vista. Percorremos os lugares principais da cidade em dois dias. Um romance em contrarrelógio.
Toda a história de amor tem um começo. O coração de Santiago do Chile está na Praça de Armas. Já era assim, no século XVI, no tempo da época colonial e até antes. Segundo os historiadores, a praça está erguida sobre uma Kancha da época inca, onde se encontram os edifícios mais representativos de Santiago, desde a Catedral Metropolitana, ao Museu Histórico Nacional e ao Palácio da Moeda.
Classe de dança no centro cultural Gabriela Mistral
GAM
A dez minutos do coração encontra-se o estômago. O Mercado Central foi declarado Monumento Nacional por causa da sua estrutura metálica singular, mas certamente que também por causa das suas delícias gastronómicas. Como um bom molho de congro e amêijoas ao parmesão.
Recomposto o estômago pode-se ir de bicicleta até ao Parque Florestal, aproveitando a zona sem carros. Ali pode visitar o Museu das Belas Artes ou o Centro Cultural Gabriel Mistral. Não muito afastado encontra-se o recentemente inaugurado Museu Violeta Parra, com entrada gratuita até 31 de dezembro. O Museu presta homenagem à primeira artista chilena a expor a sua obra no Louvre, em Paris.
Os gelados da Emporio La Rosa saboreiam-se melhor sentados
Emporio La Rosa
Depois de termos mergulhado no lado mais cultural da metrópole, agora temos de descobrir os famosos gelados da Emporio La Rosa. Obter sabores, como o chocolate apimentado ou a pétalas de rosa, é também uma arte. Ao lado, o Bairro Lastarria é um dos mais visitados, devido à quantidade de teatros, cinemas e restaurantes que concentra. São também imprescindíveis as suas lojas de design, onde pode encontrar autênticas joias, como as que se fazem no Ají. Deixar-se perder por ali é uma verdadeira aventura, sobretudo ao domingo, quando o bairro se enche de antiquários.
Patio Bellavista à noite
Patio Bellavista
E antes de jantar, petisque algo no The Clinic Bar, na rua Monjitas. O espaço vale a pena pela carta divertida que apresenta, com desenhos satíricos sobre políticos chilenos. O Patio Bellavista é um ponto de encontro para a juventude de Santiago, com uma infinidade de opções para comer. Um bom programa pode ser comer uma sanduíche na Cidade Velha e terminar em carrete (festa), com piscolas em qualquer um dos bares abertos em torno do pátio.
Em Santiago, os clubes não fecham antes que a madrugada esteja bem entrada e a melhor forma para recarregar as pilhas para o dia seguinte é com um brunch. Este sabe muito melhor num terraço com vista para a cidade e para as cordilheiras que a rodeiam, como no Tramonto Bar & Terrace. Depois, pode sair para fazer compras, no mais puro estilo Pretty Woman, porque a Avenida Vitacura, a uns curtos metros, é conhecida como o “Rodeo Drive de Santiago”. Aproxime-se do cruzamento com a Alonso de Córdova para descobrir as boutiques e as sapatarias da avenida.
Regressamos ao centro para subir ao miradouro do Cerro San Cristóbal, no Parque Metropolitano. Uma última paragem cultural, antes de beber os conhecidos terramotos da La Piojera, é na La Chascona, residência-museu do poeta Pablo Neruda, porque para nos despedirmos de Santiago são precisos mais de Vinte poemas de amor e Uma canção desesperada.

Artigos relacionados

“O homem não existe nu”

No seu programa de televisão City Tour, ou enquanto reitor do Campus Creativo, Federico Sánchez ensina a pensar sobre onde...

Cidades de autor

A capital do país mais longo e estreito do planeta renasceu várias vezes. Cosmopolita e acolhedora convida-nos a percorrer a...

Hostels onde desejará dormir acompanhado

Cada vez mais os hostels atraem todo o tipo de turistas e não só os mochileiros. E não é que...

Bairros que ressuscitam

Pode um subúrbio marginal transformar-se no bairro mais ‘bonito’ da cidade? Nova Iorque, Barcelona, Hong Kong e Buenos Aires sabem...