>>>As Ilhas Caimão não são só para milionários

As Ilhas Caimão não são só para milionários

Que motivos existem para visitar as Ilhas Caimão, mesmo que não tenha milhões para abrir uma conta no banco? No quinto centro financeiro do mundo não se deposita apenas dinheiro.
P
elas 7h00 da manhã um homem chega ao cais de George Town, a capital de Grande Caimão, a maior das três Ilhas Caimão, onde todos os dias atracam transatlânticos. Não leva uma pasta na mão, só uma cana de pesca e uma lancheira com gelo. O seu destino não é um dos bancos do quinto centro financeiro do mundo, mas um barco com 7,5 m de comprimento de onde pretende pescar barracudas, pargos ou atuns para o seu restaurante, um dos 200 disponíveis na considerada “capital gastronómica das Caraíbas”. Neste paraíso fiscal estão registadas mais empresas que pessoas, mas as contas bancárias não são as únicas que são bem alimentadas.
O ponto de entrada nas Ilhas Caimão é George Town, a capital de Grande Caimão.
Foto: Don McDougall. Cayman Islands Department of Tourism

A generosidade compensa

A Grande Caimão é uma das ilhas com maior nível económico das Caraíbas. O rei Jorge III concedeu o privilégio da isenção de impostos a este território britânico do ultramar em 1778, num gesto de agradecimento por ter acolhido os sobreviventes de um naufrágio.

O peixe desta manhã está agora no prato de um restaurante, cozinhado ao estilo Caimão: panado e em molho de tomate com cebola e pimentos. Servido também com um caymankind, ou seja, um rasgado sorriso. Além de um pouco de brisa caribenha, um coquetel de bourbon, sumo de laranja natural, azeda-da-jamaica e limão.
A ampla oferta de cozinha caribenha e internacional do arquipélago fica completa com dois grandes eventos anuais. O Cayman Cookout é um encontro de chefes de renome mundial que oferece degustações e provas, enquanto se fica a conhecer a cozinha do Caribe. Esta também é a protagonista do festival Taste of Cayman, acompanhado por música e fogos-de-artifício. A gastronomia local baseia-se essencialmente em peixe fresco de preparação simples: guisados em leite de coco com legumes (coconut dinner), grelhado na brasa, temperado, estufado ou frito. Os seus pratos mais curiosos são os caracóis marinhos e a tartaruga, tanto em sopa como em filete.
A opção de alojamento mais invejada é o aluguer de uma vila privada.
Foto: Don McDougall. Cayman Islands Department of Tourism
Visitar a Cayman Turtle Farm, onde as tartarugas são criadas em cativeiro, é uma das atrações mais populares do Grande Caimão. É um parque temático marinho nos arredores de George Town, com uma lagoa de corais, onde pode tomar banho com as tartarugas, um aviário de aves exóticas, um aquário com espécies marinhas predadoras e a piscina com as maiores cascatas da ilha. Tomar banho com raias é outra das atividades oferecidas aos visitantes: numerosos barcos sulcam até às águas cristalinas de Stingray City, para alimentar as raias que se aproximam dos banhistas e se deixam acariciar.
A Seven Mile Beach é considerada uma das melhores praias das Caraíbas.
Foto: Don McDougall. Cayman Islands Department of Tourism
Aqueles que querem gastar os lucros das contas correntes concentram-se nos resorts que se sucedem ao longo da Seven Mile Beach, uma praia em forma de meia-lua, com 9 km de areia branca e águas azul-turquesa. Além de apanhar sol debaixo dos coqueiros, assaltam as lojas de luxo, isentas de impostos, da orla marítima. Por outro lado, aqueles que procuram intimidade preferem a tranquilidade das duas ilhas mais pequenas, Cayman Brac e Little Cayman, com praias de águas límpidas para mergulhar, como a Spot Bay, lagoas, mangais e grutas com lendas de tesouros dos piratas que fizeram das Ilhas Caimão o seu centro de operações.

Artigos relacionados

Piratas, caimões e outras histórias

As praias desvendam lendas de corsários e de tesouros e, uma vez por ano, as ruas enchem-se de bandeiras negras...

Ilha e hotel: dois em um

Se lhe contarmos que encontramos um resort de luxo com spa pensará que não é nada de novo. E se...

As ilhas do fim do mundo

No meio do oceano Pacífico, as ilhas Marquesas flutuam como fragmentos de um mundo perdido. Não é o paraíso dos...

O lado mais selvagem de Cuba

Há mais vida para lá de Havana e do seu malecón. É a Cuba oriental da Baía de Taco e...