>>>Um banho a 40 graus na Islândia

Um banho a 40 graus na Islândia

A Lagoa Azul é, como dizem, “um oásis de relaxamento”: águas termais e um balneário de luxo para se alhear de tudo.
“E aqui existe um vale”, pensaram. Mas não. Quando nos anos setenta se descobriu esta zona, a sul de Reykjavik, perceberam que naquelas terras vulcânicas negras se escondia uma lagoa de águas azuis. Desde então, a mesma sensação de surpresa invade os turistas que viajam até à Islândia para desfrutar, como diz a publicidade, deste “oásis de relaxação”. Falamos da Bláa Lónió, em islandês, a Lagoa Azul. O nome é de umfilme e o lugar uma das maiores atrações deste país, apesar de ter apenas 50 anos de existência.
Entardecer na Lagoa Azul
Blue Lagoon

Canção de gelo e fogo

Islândia é o país dos glaciares e dos vulcões. Esta relação peculiar entre os gelo, a água e o fogo deu origem às piscinas geotermais que abundam no país. A Lagoa Azul é a mais importante, mas em muitas aldeias pode-se desfrutar de pequenos balneários.

A Lagoa Azul é, na realidade, um lago artificial que se formou com as águas da central geotérmica Svartsegi. Devido ao seu mau sistema de drenagem, existe hoje este balneário de águas geotermais na península de Reykjanes, a cerca de 47 quilómetros de Reykiavík. Estas águas, ricas em sílica e enxofre, têm propriedades curativas para a pele.
É fácil reconhecer Bláa Lónió devido à sua cor azul-turquesa e ao vapor branco produzido pelo choque entre a temperatura da água da lagoa e da água que existe no campo de lava fria que a rodeia. A zona de banhos concentra, em 350 metros quadrados, seis milhões de litros de água, em média a 40 graus centígrados. Uma vez submerso na água, não vai querer sair mais. A experiência termal fica completa com uma improvisada mascarilha de barro rico em sílica, um duche sueco debaixo dos jatos de uma cascata ou simplesmente deixando-se flutuar e relaxar nas águas da lagoa, com elevado salinidade.
Na Lagoa oferecem serviços de massagens
Blue Lagoon
Ao lado da Lagoa foi construído um balneário que oferece massagens dentro de água, sauna, SPA e tratamentos de beleza com produtos naturais, preparados com a água da lagoa. O centro dispõe ainda de um laboratório de investigação para pesquisar as propriedades e aplicações da água termal, sobretudo no campo do antienvelhecimento, mas também das doenças de pele, como a psoríase.
O complexo possui duches e passarelas
Blue Lagoon
O banho dá fome e, por isso, o Lava Restaurant completa os serviços dedicados aos visitantes. O restaurante foi construído num promontório de lava com vista para a lagoa e serve almoços e jantares de cozinha islandesa. É também possível tomar um copo dentro da lagoa, como se estivesse no caribe. Quem disse que as águas geotermais não casam com um copo de vinho? Na verdade é perfeito, para o relaxamento ser completo.

Artigos relacionados

Mergulhe no relaxamento

A confusão buliçosa das ruas comerciais do bairro de Mongkok, em Hong Kong, não chega à piscina do terraço do...

Fotografar um glaciar como nunca se viu

A beleza das grutas do glaciar islandês de Vatnajökull é revelada nas imagens captadas pelo fotógrafo Mikael Buck com uma...

Tome um banho (de floresta)

Para fazer terapia não é preciso passar pelo divã de um consultório. No Japão, o melhor método anti-stress é passear...

Os resorts mais invejados do Algarve

Conheça o sul de Portugal mais exclusivo: vilas com piscina privada, restaurantes com estrela Michelin e terraços com vistas para...