>>>Destinos exóticos e baratos: como viajar sem se arruinar

Destinos exóticos e baratos: como viajar sem se arruinar

Dos bazares marroquinos à boleia nas Filipinas. Do Delta do Mekong ao colonialismo nicaraguense. E sem deixar o salário. Propomos-lhe oito destinos que nunca imaginou serem low cost.
T

odos à procura da sua cara-metade e eu à procura de voos baratos”, diz uma destas frases que se tornam virais e se partilham de mural em mural no Facebook. De facto, passamos o dia a ansiar pelo próximo destino, à procura de um recanto onde nos possamos perder… Até reaparecer o eterno dilema: quando há dinheiro não há tempo; quando temos tempo, estamos sem um tostão… Até agora. Propomos-lhe o top dos oito destinos exóticos low cost.

Sahara desert from Ouarzazate.
1. Marrocos

Além de ser o país ideal para uma primeira aproximação a África, Marrocos encanta pelos seus contrastes. Percorrer a praça Jemaa El-Fna, em Marraquexe, e perder-se pelos souks. Alojar-se num riad para receber massagens a preço de saldo. Não será um luxuoso spa, mas aí deixará até ao último vestígio de pele morta. Vale a pena descer ao deserto desde Ouarzazate, num 4X4. Não se imagina já a contemplar um céu que não pensava existir e a dormir numa tenda entre as dunas?

Elephant in Thailand.
2. Tailândia

A Tailândia é o destino da moda. E se todos falam dela, deve ser por alguma coisa… esqueça que tem de gastar o orçamento em comida. É tão barata que se não gostar de um prato poderá optar por outro e mais outro… Poderá comprar em mercados flutuantes, próximos de Banguecoque, como o de Damnoen Saduak, oferecer-se massagens da cabeça aos pés e descansar em praias de águas azul-turquesa que não deixam nada a desejar às de qualquer resort em ilhas de luxo. E tudo a preços acessíveis.

Balloons in Capadocia.
3. Turquia

De Istambul até regiões como a Capadócia – com magníficos espaços naturais – vale a pena optar pela Turquia. O aspeto negativo é que, desde julho de 2016, o país decretou o estado de emergência que obriga a aumentar as precauções. O positivo é que esta medida baixa os custos de transporte e alojamento.

Malapascua Island.
Foto: Filipinas: OlegD / Shutterstock.com
4. Filipinas

Nadar com tubarões baleia, ver imensos arrozais, escalar vulcões ou conhecer tribos, são propostas de um país ainda desconhecido. No entanto, algumas linhas aéreas estão a adicioná-lo como destino, baixando assim os preços. Andar de boleia é uma forma comum de se deslocar, pelo que poupará em transporte. Outro atrativo é a combinação de lugares caóticos, como Manila, a capital, com a paz de recantos como a Ilha de Malapascua.

Halong Bay, Vietnam.
5. Vietname

O Vietname sobe posições, como um dos lugares mais baratos do sudeste asiático. Oferece 3444 quilómetros de costa e regiões montanhosas. Percorrer o Delta do Mekong impressiona: arrozais e mercados flutuantes, com o rio homónimo como fio condutor. Vale a pena deter-se em Chau Doc, uma aldeia fronteiriça com ótimas vistas e plena de contrastes.

Angkor Wat, Cambodia.
6. Camboja

O Camboja está a tornar-se na Nova Tailândia e os templos de Angkor Wat, em Siem Reap, estão entre os mais maravilhosos do mundo. Descobrem-se à medida que se avança pela floresta, detendo-se nas figuras representadas. Destaca-se a gastronomia, como o Lort Cha, um prato de massa com legumes e soja. Uma última sugestão: assistir a um espetáculo de danças tradicionais.

Ski resort in Bulgaria.
7. Bulgária

O turismo cultural e histórico da Bulgária – 40 mil monumentos, sete dos quais Património da Humanidade – tal como o direcionado aos amantes da natureza, tornou-se na publicidade do país. Lugares tão encantadores, como a cidade de Elena, com casas, pátios e igrejas, que parecem não ter sucumbido à passagem do tempo. E sem os preços europeus.

Hospital San Juan de Dios, Granada (Nicaragua)
8. Nicarágua

Há muitos destinos económicos na América Latina, não tão massificados como o Perú ou a Argentina. A Nicarágua é a alternativa. Tem pouco a invejar à Costa Rica, pois o país é, como os seus vizinhos, um caleidoscópio de verdes, laranjas e azuis. À sua natureza – tem três reservas da biosfera – junta-se o carácter dos habitantes. A herança colonial aprecia-se em Granada, a cidade mais antiga do país. Assim, anote-o na sua lista e não se preocupe com o dinheiro.

Artigos relacionados

Hostels onde desejará dormir acompanhado

Cada vez mais os hostels atraem todo o tipo de turistas e não só os mochileiros. E não é que...

Uma vida em movimento

Entrevistamos Herman e Candela Zapp, um casal que há 16 anos dá a volta ao mundo e que pelo caminho...

Diga-me a idade que tem e eu dir-lhe-ei como viaja

Não se viaja da mesma forma aos 20 ou aos 50. A boa notícia é que à medida que perdemos...

O luxo mais selvagem de África

Os “cinco maiores” atrativos típicos da savana – o leão, o leopardo, o elefante, o rinoceronte e o búfalo –...