>>>Destinos para surpreender Cupido

Destinos para surpreender Cupido

Para os enamorados um beijo na torre Eiffel ou debaixo de uma palmeira é a mesma coisa, mas no São Valentim há que ser original. Viajamos a oito lugares inesperadamente românticos.

Não figuram nos tops 10 dos “lugares mais românticos do mundo”, nem ocupam os primeiros resultados do Google quando procura ideias para o São Valentim. Precisamente por isso são perfeitos para quem foge dos lugares comuns.

Não encontrará Paris nem Verona, mas são tão românticos que se Romeu e Julieta se tivessem conhecido aqui ainda hoje viveriam felizes para sempre.

Era uma vez – Hallstatt (Áustria)

“Era uma vez a aldeia mais bonita da Áustria”. Com as suas casas de madeira e as suas varandas ornamentadas parece retirada de um conto de fadas, com um final muito feliz. Situada na margem do lago Hallstätter See, rodeada de montanhas e vegetação, Hallstatt é o esconderijo perfeito para uma escapada romântica. Continua a sê-lo há mais de 7000 anos de história e é uma das aldeias mais antigas do país.

Os “Romeo e Julieta” mexicanos – Guanajuato (México)

O Callejón del Beso tem 68 centímetros de largura e foi ali, segundo a lenda, que Dona Carmen e Don Luis se despediram pela última vez. O pai da rapariga opunha-se à sua relação e fechou a jovem. Para ver a sua amada, Don Luis comprou a casa ao lado, tão perto que podiam beijar-se pela varanda. O pai acabou por descobrir e assassinou a filha. Reza a tradição que os casais que visitam esta graciosa cidade colonial se devem beijar no terceiro degrau, para o seu amor durar eternamente.

Um encontro excecional – Charleston (Carolina do Sul, Estados Unidos)

Um passeio de charrete, uma volta de ferry ao entardecer ou um dia num spa de luxo. Seja qual for a vossa decisão, o encontro será perfeito num cenário como Charleston. Não faltam pormenores a esta cidade encantadora: jardins para se perder, magnificas mansões e hotéis boutique onde ficar e vários restaurantes para terminar o dia com um jantar romântico. Não esquecer a rota do farol da Morris Island.

Amor no paraíso – Ilhas Quirimbas (Moçambique)

Nas listas de destinos românticos há sempre uma ilha paradisíaca, como o Havai ou Bali. Nas costas africanas existe uma alternativa ainda mais exótica. A norte de Moçambique encontra-se este arquipélago composto pelas ilhas coralinas. Areia branca, águas cristalinas e alojamentos de luxo, como as vilas de Azura, na ilha privada Quilálea. Onze das ilhas fazem parte do Parque Nacional de Quirimbas, onde habitam 375 espécies de peixes. No total, 7500 km2 de natureza selvagem.

A outra capital do tango – Montevideu (Uruguai)

Embora esteja associado à vizinha Argentina, a capital uruguaia também percebe de tango. As ruas do centro histórico podem ser percorridas ao ritmo de 2/4 e às quartas costuma haver uma milonga de rua, na praça Líber Seregni. A noite também pertence a esta dança apaixonada. Abundam os salões e casas de baile, como Joventango e El Milongón, para se deixar levar pela música e dançar bem “agarrado”.

Uma paisagem digna da realeza – Sintra (Portugal)

É tão especial que obrigou a Unesco a adicionar como categoria à sua lista de Património da Humanidade “paisagem cultural”. Situa-se a 30 quilómetros de Lisboa e é um dos berços do romantismo em Portugal. A monarquia portuguesa elegeu-a como destino de veraneio e, por isso, é fácil encontrar por ali dezenas de castelos e palácios, como o Palácio da Pena. Este monumento colorido possui vários estilos arquitetónicos, como o neogótico ou o neomudéjar e é considerado o expoente máximo do Romantismo português. Também se destaca a Quinta da Regaleira, uma mansão de estilo gótico, rodeada por um jardim mágico, com um poço repleto de lendas.

A concorrência galesa de São Valentim – Llanddwyn Island (País de Gales)

Para os habitantes de Gales, o dia dos namorados não é 14 de fevereiro, mas sim 25 de janeiro. Celebra-se o dia de Santa Dwynwen, a padroeira do amor. Foi uma princesa do século IV que recusou casar-se para criar um convento em Llanddwyn Island, uma pequena península de Anglesey, conhecida como “a ilha dos amantes”. As ruínas da igreja ainda podem ser visitadas, mas a beleza reside sobretudo na paisagem envolvente.

Embriagados de amor – Waiheke Island (Nova Zelândia)

Uma garrafa de vinho casa bem com qualquer plano romântico e isso é sabido até na remota Nova Zelândia. Na ilha Waiheke existem mais de 20 caves boutique para saborear uma experiência gourmet entre vinhas. O restaurante Mudbrick, com vista para o mar, promete entardeceres inesquecíveis. Mas na ilha também há espaço para os (eco)aventureiros, com atividades como esqui aquático ou tirolesa.

Artigos relacionados

Pantelária, o miradouro siciliano de África

Ilha vulcânica, com um pé na Itália e outro em África, a Pantelária é a pérola negra do Mediterrâneo. As...

Venezas há muitas

Veneza encanta tanto que todos os países querem ter uma. China, Holanda ou México também têm a sua própria cidade...

Dançar nas ruas de Havana

As cidades são as suas pessoas. E para o fotógrafo Omar Z. Robles são os seus bailarinos, que fotografa em...