>>>Em busca do templo tranquilo

Em busca do templo tranquilo

Em Banguecoque, a cidade só descansa no interior dos seus santuários, onde os monges se levantam a meio da noite para rezar antes que cheguem os turistas.
A
paz vem de dentro, não a procure fora”. A frase de Buda é perfeita para identificar Banguecoque, a capital da Tailândia. Perante a confusão dos dias, dos mercados, dos habitantes e da ebulição das noites e dos néones, apenas dentro do templos, os wats, se consegue encontrar alguma tranquilidade, na cidade que vive intensamente 24 horas por dia. Os templos budistas são outra história. Nem a visita dos turistas os tira do seu próprio compasso. A maioria deles começa a vida muito cedo, às quatro da manhã, mas não abrem ao público antes das oito.
Os pés do Buda Reclinado medem mais de 3 metros

De comboio até ao céu

Só em Banguecoque há mais de um milhar de templos. Poucas cidades do mundo têm um skyline como este, de santuários, arranha-céus e palácios luxuosos. Ou um comboio elevado, o Skytrain, para o levar a render tributo aos deuses.

O Wat Pho é um templo indispensável em qualquer roteiro pela Tailândia. Um Buda reclinado, com 15 metros de altura e 46 de comprimento, ocupa a maior parte do edifício. A figura, construída com gesso dourado, tijolos e coberta com uma capa fina de folha de ouro, é o maior Buda reclinado da Tailândia. Só os pés deste Buda medem três metros de altura e mais quatro de largura. Um tamanho colossal para um Buda que não descansa, ao contrário do que diz a sua posição relaxada. Na verdade, a figura representa a passagem do Buda ao estado do Nirvana. Neste templo, além disso, fundou-se, em 1782, a primeira escola oficial de massagens tradicionais terapêuticas. Técnica de massagens de que pode desfrutar em espaços oferecidos no bairro do Rattanakosin, muito perto do Palácio Real.
Muitos Budas, como o Reclinado, estão cobertos por folha de ouro, mas o que está no Wat Traimit tem cinco toneladas de ouro maciço. Foi construído na antiga capital da Tailândia, em Ayutthaya, no século XIII. Anos mais tarde, cobriram a estátua com estuque para a proteger dos ladrões que assediavam a cidade e acabou por ficar esquecida. Em 1955, porém, quando se tentava transferir o Buda para outro local, uma falha ocorrida na grua provocou a quebra do estuque, revelando finalmente o segredo que o Buda guardava no seu interior. Agora, este Buda está num templo austero no bairro da Chinatown.
Wat Traimit, no bairro chinês de Banguecoque
Wat Traimit não é o único templo a encerrar segredos. Também Wat Benchamabophit, conhecido como o ‘templo do mármore’, tem segredos. Situado nas imediações do parque Dusit, o templo foi um capricho do rei Rama V, cujas cinzas descansam no seu interior, e foi construído com mármore branco de Carrara, trazido diretamente de Itália. O mármore dá-lhe uma aparência delicada, o que faz com que seja considerado um dos mais belos templos da Tailândia.
Às primeiras horas do dia consegue-se ouvir os monges que rezam. Eles sabem, como dizia o seu mestre, que a paz vem de dentro. Há muito que a deixaram de procurar fora.
Wat Benchamabophit, o templo de mármore
chompunoi

Artigos relacionados

O templo perdido de Ta Prohm

Durante séculos parecia que a terra o tinha engolido. Mas quando foi redescoberto pelo homem, o templo mais fascinante de...

A capital asiática do design

A pequena cidade de Taipé, em Taiwan, será, durante 2016, a Capital Mundial do Design. Mas, na verdade, a cidade...

Os melhores resorts espirituais

Buda dizia que a paz vem do interior e não é preciso procurá-la no mundo exterior. Numa infinity pool nas...

Um sino no exílio

Testemunha de uma tragédia que marcou a história da Rússia, a cidade de Uglich, 250 km a norte de Moscovo,...