>>>Estes trilhos são cinco estrelas

Estes trilhos são cinco estrelas

Nunca foi tão óbvio: o que importa não é chegar, mas sim o caminho. Sobretudo se o caminho for percorrido nos comboios mais exclusivos do mundo.
U
mas férias de comboio, em pleno século XXI, oferecem duas viagens: uma ao destino e outra ao passado. Os comboios a vapor do século XIX permitiram viajar em segurança pela primeira vez. Uma época em que deslocar-se de um local para o outro era uma aventura épica, que apenas uns quantos afortunados podiam viver com classe. Hoje em dia alguns desses comboios ainda proporcionam aos passageiros o romantismo, o glamour gatsbiano e o inconfundível rugido da locomotora.
O Rovos Rail passa a menos de 300 m das cataratas de Vitória, a queda de água com maior caudal do mundo.
Um miradouro em movimento – Rovos Rail (África do Sul)
Conhecido como o orgulho de África, o comboio dispõe de carruagens do século XIX, completamente recuperadas, para percorrer a África do Sul, o Zimbabué, a Zâmbia e a Tanzânia. Oferece a oportunidade de contemplar, durante o percurso de Pretória à Cidade do Cabo, do Serengueti às Cataratas de Vitória.
As suites Gran Lujo do comboio Transcantábrico são decoradas com madeira e têm quarto de banho privativo.
Alojar-se nas suites reais, um espaço de 16 m2, com sala e quarto de banho com banheira, permite reviver a opulência dos anos 20. Observe a savana enquanto saboreia um prato de caça no restaurante Victoria, se não quiser perder de vista os leopardos, rinocerontes e elefantes no seu habitat natural.
No Rocky Mountainer usufrui-se da natureza num vagão com cúpula de vidro.
De uma ponta à outra – The Ghan (Austrália)
Com um dos trajetos mais extensos do mundo, este comboio percorre a Austrália de sul a norte, desde a cidade de Adelaide até Darwin. Um percurso que segue a rota original do britânico John McDouall Stuart, o explorador mais famoso do continente australiano. São 2979 km em 48 horas de viagem, que atravessam os desertos Simpson e Vitória, a cordilheira Macdonnell, Alice Springs e a pequena povoação de Coober Pedy, onde a maioria dos seus habitantes vivem debaixo da terra. O serviço Platinum oferece umas férias de luxo, com quartos amplos e serviço de pequeno-almoço no compartimento.
Viagem ao santuário peruano – Belmond Hiram Bingham (Peru)
Este comboio, que herdou o nome do explorador norte-americano Hiram Bingham, chega até à estação de Aguas Calientes, a mais próxima acima de Machu Picchu. Os passageiros conhecem os Andes peruanos a bordo dos seus vagões, inspirados nos Pullman dos anos 20. Existem várias formas de desfrutar do trajeto: saboreie um brunch na carruagem restaurante, aprenda a fazer um pisco sour pela mão do barman, viva a música peruana em direto no bar ou contemple a paisagem na carruagem-observatório, ao ar livre.
 O ar mais puro – Rocky Mountaineer (Canadá)
O comboio Rocky Mountaineer atravessa as Montanhas Rochosas do Canadá. O seu percurso vai a lugares onde não é possível chegar de automóvel, através dos lendários túneis em espiral, construídos com explosivos, na passagem Kicking Horse. Prove os apreciados vinhos do Vale de Okanagan, sempre com atenção à paisagem, pois é comum ver ursos pardos e águias-reais. O comboio utiliza os percursos da Ferrovia Nacional Canadiana e liga Vancouver a Jasper, Banff e Calgary. Dispõe de seis rotas, algumas circulares com início e fim em Vancouver e outras lineares com partida desta cidade.
Um cruzeiro gastronómico – Transcantábrico Gran Lujo (Espanha)
Os viajantes percorrem a costa cantábrica de Espanha a bordo de carruagens originais de 1923, joias do património histórico-ferroviário. As cidades onde pára são a oportunidade ideal para conhecer a gastronomia típica da zona, considerada das melhores da Europa pela qualidade dos seus profissionais e matérias-primas. Um percurso pela identidade gastronómica da Galiza, Astúrias, Cantábria e País Basco, onde pratos tradicionais como a feijoada asturiana, o cozido montanhês, o marisco ou o peixe assado e sobremesas como os frixuelos e a tarte de Mondoñedo, são os protagonistas.

Artigos relacionados

Escalar não é só para corajosos

Há dois tipos de pessoas: as que gostam de contemplar uma montanha e as que preferem subi-la. Porto Rico oferece...

Um safari dentro da cratera

Visto de cima parece a marca de um enorme meteorito que embateu na terra. Contudo, em vez de destruir o...

Em busca das luzes do sul

As luzes do norte parecem ser um fenómeno único, mas as suas vizinhas do sul fazem-lhes concorrência desde a Austrália...

“Um anel para os enamorar a todos”

Frodo e Gollum estariam de acordo: há um anel melhor do que o de Sauron e está na Irlanda.