>>>No Olimpo seguem a dieta mediterrânica
Foto: Milada Vigerova

No Olimpo seguem a dieta mediterrânica

A gastronomia de Creta é um presente dos deuses: azeite, vinho e uma ementa simples e saborosa baseada na dieta que nos faz mais felizes.
Q

uando os cretenses mais idosos falam da oliveira dizem que “até o sentar-se à sombra desta árvore faz-nos bem”. Sabem-no por experiência. A oliveira está presente na vida de Creta há mais de 3500 anos, como o comprovam os frescos e vasos encontrados na jazida arqueológica de Zakros. A oliveira é muito mais do que uma árvore, é um símbolo. O emblema de uma dieta e de um estilo de vida que mereceu o reconhecimento mundial, não só dos foodies e dos especialistas em culinária, mas também da medicina.

Nos anos 50 e 60, cientistas, nutricionistas e médicos de diferentes especialidades viajaram até esta ilha, a maior da Grécia, para estudar os hábitos alimentares da sua população. Era uma das mais longevas do mundo e queriam descobrir porquê. Uma das razões estava nos mais de 35 milhões de oliveiras que cobrem 65% do terreno cultivável da ilha. Diferentes investigações demonstraram que o azeite cru é bom para a saúde, favorece a longevidade e contribui para aumentar o colesterol bom (HDL), que ajuda a prevenir as doenças do coração.

Ensalada griega de tomate y queso con aceite de oliva
“The Seven Countries Study” foi o primeiro estudo a investigar a dieta mediterrânica em Creta, Itália e Croácia. A grega era a que mais azeite usava.

Os estudos confirmaram o que os cretenses já sabiam, que a sua gastronomia era um exemplo para o mundo. Mas, conforme nos lembram no Posto de Turismo, o segredo não está apenas na alimentação, pois é também importante a filosofia que a acompanha. Valores como a família, a hospitalidade e o exercício diário que a vida no campo proporciona, contribuem igualmente para que a dieta cretense seja tida como uma das mais saudáveis entre as dietas mediterrânicas.

 

As condições climáticas e o ecossistema especial da ilha, considerado um dos mais ricos e interessantes da Europa, também ajudam. O sol e a terra de Creta fazem com que o cultivo seja possível durante todo o ano e permitem o crescimento de centenas de ervas autóctones que são usadas nos guisados e no tempero de carnes como o Apaki. Esta carne fumada, macerada durante dois ou três dias, entrou na moda da cozinha criativa grega como alternativa aos enchidos italianos e espanhóis. No Piato, um restaurante elegante situado em frente ao mar na pequena cidade de Agios Nikolaos, servem este e outros pratos típicos da gastronomia cretense há mais de 35 anos. As receitas quase não mudaram. É só um exemplo do respeito pela tradição que se respira em Creta, um respeito que tem permitido que os sabores cheguem até aos nossos dias praticamente inalterados.

Mujer recolectando hierbas aromáticas en Creta
Numerosos estudos relacionam a dieta mediterrânica e o estilo de vida cretense com a longevidade dos seus habitantes.

A produção de laticínios, como o iogurte ou o queijo, também continua a basear-se em conhecimentos seculares, desenvolvidos pelos pastores das zonas montanhosas de Selino, Apokoronas e Skafia. Praticamente todos os pratos da cozinha cretense levam queijo, desde o Dakos, um aperitivo com pão, tomate, azeite e coberto com um queijo granuloso de cabra ou ovelha, até aos seus pastéis (pites), tanto doces como salgados. Quatro dos queijos produzidos nestas zonas foram certificados com o selo de Denominação de Origem Protegida.

 

Além disso, em algumas quintas e lodges é possível participar na sua preparação. Nos últimos anos o agroturismo conheceu um enorme desenvolvimento e muitas casas de hóspedes e quintas da ilha abriram as suas portas aos visitantes para colaborarem nas tarefas tradicionais, como o fabrico do queijo, a apanha de ervas, a vindima ou a destilação do raki (o licor preferido dos cretenses, também chamado tsikoudia). Um exemplo é a Kouriton House, perto da cidade de Rétino e das praias de Panormo. Oferece alojamento para 23 pessoas numa típica casa cretense e, além de atividades relacionadas com a agricultura e o estilo de vida tradicional, ministra também aulas de cozinha.

Laguna de Balos
Além da sua gastronomia, a outra grande atração de Creta são as suas praias, como a da lagoa de Balos.

A outra maneira de experimentar o saudável estilo de vida cretense é à mesa. O melhor lugar para degustar a sua gastronomia e viver a autêntica experiência grega é nas suas tabernas. Quanto mais rústicas e simples, melhor. Não se deixe impressionar pela decoração, o mais importante é que o conquistem pelo sabor.

Artigos relacionados

A gastronomia brilha na Costa do Sol

As três novas estrelas atribuídas pelo Guia Michelin 2016 a restaurantes da Costa do Sol demonstra a renovação gastronómica do...

O sakura dá cor ao Japão

Com a chegada da primavera o Japão converte-se numa enorme nuvem cor-de-rosa. E até parece que, de tanto olharem para...

Londres tem uma cor especial

E não é precisamente o cinzento. Leve um guarda-chuva (é melhor estar precavido) porque embora o dia ameace com mau...

Sarlat gourmet: direto ao fígado

A capital do Périgord Noir francês visita-se com gula. Joias gastronómicas, como o foi-gras de ganso, atraem todos os anos...