>>>Os telhados de Banguecoque
Foto: CRU Champagne Bar at Red Sky

Os telhados de Banguecoque

Vaguear pelas ruas da capital tailandesa ou observá-la a centenas de metros do solo é completamente diferente. E se for com um coquetel num dos vários rooftop bars, a perspetiva muda completamente.
S

e Stuart, Phil, Alan e Doug, os protagonistas de A Ressaca, escolheram Banguecoque para a sua segunda grande borga, por alguma coisa foi. Em A Ressaca – Parte II (The Hangover Part II) celebram o casamento do alto da capital tailandesa. Uma viagem que jamais esquecerão na cidade com a melhor vida noturna da Ásia. O conhecido “país do sorriso” transforma-se em país da gargalhada ao pôr-do-sol.

Muitos desses grandes momentos acontecem a centenas de metros do solo, nas esplanadas e rooftops, onde bares e hotéis nos regalam a vista pelo preço de um coquetel. Nunca houve melhor 2 em 1. Como os poptails, uma criação a meio caminho entre o picolé e o coquetel, que surgiu quando os atores do filme gravavam no terraço do hotel Lebua. A quase 250 metros do solo, o Sky Bar, com a esplanada mais fotografada de Banguecoque, reinventou a cultura do coquetel. E em homenagem à saga de Hollywood inclui o coquetel Hangovertini. Também é possível escolher outros coquetéis de autor, como o Summer Sunset, o Sky Devil, o Pop Star ou o Pink of the Roof.

Sky Bar at Lebua Hotel.
O Sky Bar do hotel Lebua é a esplanada mais fotografada de Banguecoque.
Foto: torbus via Visualhunt.com / CC BY-NC-ND

Alturas, mas a preços baixos

O Cloud47 define-se como “Casual rooftop bar”, um bar de Banguecoque que está a meio caminho entre os luxuosos rooftops de alguns hotéis e os terraços modestos de outros edifícios da cidade. Um ambiente animado a preços económicos no 47.º andar do edifício de escritórios do United Centre.

O Sky Bar partilha o terraço com o Sirocco, que pode gabar-se de ser um dos restaurantes, ao ar livre, mais altos do mundo. Para aí chegar é preciso subir ao 63.º andar do hotel. Depois, umas escadas conduzem ao restaurante, que obteve um Perfect 10 da revistaThailand Tatler, que valoriza quatro categorias (comida, vinho, ambiente e serviço). Nos fogões está o chef Gonzalo Ruiz, com a sua cozinha de inspiração mediterrânea e com ingredientes que dificilmente se encontram noutro lugar da cidade. Uma banda de jazz completa o jantar.

No entanto, a lista dos melhores locais nos céus de Banguecoque é constantemente atualizada. Um dos mais recentes é o CRU Champagne Bar. O lugar “onde os anjos brincam”. Assim se apresenta este rooftop bar, aberto desde dezembro de 2016, e situado no 59.º andar do hotel Centara Grand. O local tem o nome da palavra francesa (cru) que faz referência às vinhas de alta qualidade e o seu propósito é redefinir a forma de beber champanhe. A ementa inclui, entre outros luxos, o exclusivo champanhe Pink Mumm N.º1 (é o único bar da Tailândia que o serve), caviar do mar Cáspio e ostras.

Vertigo and Moon Bar, Ranyan Tree.
O dress code do Vertigo and Moon Bar não permite roupa desportiva nem havaianas.

O design do CRU Champagne Bar é moderno e contemporâneo. O espaço central é o bar circular, situado numa plataforma elevada que domina o espaço. É o perfeito início ou final de uma noite para brindar com bolhas delicadas e vistas de 360º sobre Banguecoque.

Three Sixty at Millennium Hilton, Bangkok.
Os restaurantes do Millennium Hilton de Banguecoque oferecem cozinha tanto oriental como ocidental.
Foto: Millennium Hilton

A animada noite tailandesa também convida a fazer planos para os casais. Aliás, três não tem de ser necessariamente demais. Pelo menos, se o terceiro convidado for o céu de Banguecoque e contribuir para criar um ambiente romântico. No 61.º andar do hotel Banyan Tree fica o Vertigo and Moon Bar, um restaurante de fusão asiática com pratos de marisco e carne de qualidade superior. Contudo, é mais conhecido como bar de coquetéis e a sua bebida protagonista, o Vertigo Sunset, combina Malibu com sumo de ananás, mirtilos e lima.

Adicione à lista mais uma opção: o estilo vanguardista del Millennium Hilton Banguecoque. Dispõe de oito bares e restaurantes com vista para o rio. Alguns têm um espaço ao ar livre. Para brindar com o céu como cenário, homenageando o nome tailandês de Banguecoque, Krung Thep, que significa “a cidade dos anjos”.

Artigos relacionados

A última praia deserta

A ilha paradisíaca de Phi Phi Leh parece o cenário de um filme. Mas é real. É possível pisar as...

“Keep calm and… sawadee krap”

De um retiro num templo budista até uma espreguiçadeira numa praia paradisíaca, passando por uma massagem ou um spa. Relaxar...

Banguecoque: entre duas épocas

Mais de oito milhões de habitantes vivem entre o passado e o futuro na sempre vibrante capital tailandesa. Os contrastes...

“Não escolhi Banguecoque, foi o destino”

O panorama culinário de Banguecoque está a mudar. Entrevistamos dois dos seus protagonistas, Gaggan Anand, chefe do melhor restaurante da...