>>>Planeta Madagáscar

Planeta Madagáscar

Às vezes não é preciso ir muito longe para sentir que estamos noutra galáxia. A uns 400 quilómetros da costa africana encontra-se esta ilha onde tudo parece novo, apesar de ser muito antigo.
S

e O Principezinho de Antoine de Saint-Exupéry tivesse aterrado aqui numa das suas viagens, ter-se-ia escandalizado com a Avenida das Baobás, no caminho entre Morondava e Belon’i Tsiribihina (oeste da ilha). Teria de arrancar estas árvores no seu pequeno planeta quando ainda fossem pequenas – os seus troncos chegam a medir nove metros de diâmetro – se não quisesse que elas o invadissem com as suas gigantescas raízes. Mas em Madagáscar não teria de se preocupar. A quarta maior ilha do mundo tem espaço de sobra para estas maravilhas da natureza. Há apenas oito espécies desta árvore na Terra e seis delas crescem unicamente nesta ilha. Além de Morondava, podem ver-se em Majunga e Tulear, bem como nos parques de Ankarafantsika, Vohibasia e Kirindy Mitea.

A baobá é apenas uma das 19 000 espécies de plantas que fazem de Madagáscar um dos 17 países mais biodiversos do mundo. De 80 a 90% das plantas desta ilha encontram-se unicamente aqui, além de lémures e de outras espécies de animais endémicos, quase marcianos. Isolada há mais de 80 milhões de anos, quando se separou do subcontinente indiano, Madagáscar tornou-se um país diferente de todos os outros.

Lémures de Madagáscar
Algumas espécies de lémure, como o Sifaka, estão muito habituados aos humanos e até interagem com eles.

A mascote da ilha

O lémure é o animal mais característico de Madagáscar. Nos seus bosques e reservas naturais podem ver-se cada uma das 102 espécies existentes. A sua origem é um mistério, acredita-se que seja o antecessor do macaco e que tenha vindo de África, mas Madagáscar é o único lugar do mundo onde podem ser observados no seu habitat natural.

Num relatório sobre a sua biodiversidade, a organização WWF referia-se a esta ilha como a “Ilha do Tesouro”, pela sua extraordinária riqueza e variedade de habitats: desde a árida paisagem do Parque Nacional de Isalo, conhecido como “o Colorado malgaxe”, até às praias exóticas do norte, passando pelos arrozais das Terras Altas e por uma das últimas selvas tropicais do planeta.

Os seus cerca de 50 parques nacionais e reservas protegidas são uma amostra deste amplo leque de ecossistemas que conquistou biólogos e fotógrafos. Entre os mais visitados encontra-se o da Reserva Natural de Tsingy de Bemaraha, outro desses lugares que nos fazem perguntar se ainda estamos na Terra. Em malgaxe, a língua local, o nome da reserva significa “onde não se pode caminhar descalço”, mas a ninguém ocorreria tal ideia neste labirinto de formações cársticas com milhões de anos de idade. Trata-se de um bosque de pedra com pináculos de calcário afiados, uma maravilha geológica. Pode ser explorado em circuitos que incluem trekkings, pontes suspensas e excursões de canoa. Poucos imaginam que entre as grutas e gargantas desta ilha se escondem cerca de 400 espécies diferentes de animais, entre elas onze tipos de lémures. Os seus 1500 quilómetros quadrados foram declarados Património da Humanidade pela Unesco em 1990.

Reserva Natural de Tsingy de Bemaraha
O Tsingy de Bemaraha foi o primeiro refúgio dos habitantes da ilha.

Menos conhecidas do que os lémures e as baobás, as praias de Madagáscar também surpreendem. Além dos seus 5000 quilómetros de costa, destaca-se o arquipélago de Nosy Be, situado a norte da ilha. Designada como “a ilha dos perfumes” pelos odores a ylang ylang (flor de flores), cana de açúcar e especiarias que chegam até às suas margens, é a principal ilha do arquipélago. Também podem visitar-se Nosy Komba e a sua população de lémures “sagrados”, o parque marinho de Nosy Tanikely e as praias tranquilas de Nosy Iranja. É o sítio ideal para descontrair depois desta aventura interplanetária pelos mundos de Madagáscar. Ou não, porque ainda podemos continuar a descobrir esta ilha. Nos últimos 20 anos registaram-se em Madagáscar mais de 600 novas espécies. E sem a ajuda da NASA.

Nosy Iranja
Madagáscar acolhe 5% de todas as espécies de fauna e flora do mundo.

Artigos relacionados

A selva urbana de Madagáscar

Se Madagáscar parece uma ilha alienígena, com as suas avenidas de embondeiros e a sua povoação de lémures, Antananarivo, a...

Se quiser pintar como Monet, viaje

Um percurso por alguns dos cenários que inspiraram os quadros dos pintores mais famosos: Paris, Monte Fuji, Holanda…

“O Paquistão é o lugar mais espetacular onde voei”

Cruzou os céus de mais de 40 países de parapente e foi o primeiro a voar durante uma aurora boreal....

O paraíso surrealista de Edward James

Um milionário britânico, possivelmente filho de um rei, instalou-se na selva mexicana para construir o Jardim do Éden. Não é...