>>>Um mergulho à beira do abismo

Um mergulho à beira do abismo

As Cataratas Victoria são um autêntico espetáculo em si mesmo, mas os viajantes mais intrépidos não têm de se conformar com fotografias captadas de longe: podem mergulhar na Piscina do Diabo.
As cataratas estão situadas na fronteira entre a Zâmbia e o Zimbabué. Com 1708 metros de largura, o seu tamanho é quase o dobro das cataratas do Niágara e a sua altura oscila entre os 80 e os 108 metros. Batizadas em 1855, com o nome da rainha Victoria, pelo explorador David Livingstone, os locais conhecem-na por Mosi-oa-Tunya, o fumo que trovoa, por causa da nuvem enorme de vapor que se encontra sobre ela. Numa das suas quedas de água, na Ilha Livingstone, há uma pequena piscina natural, formada por uma barreira de rochas. Se não fosse pelo precipício que existe detrás, poderia ser uma lagoa tranquila para se refrescar do calor. No entanto, as correntes e o ruído ensurdecedor da água a cair devolvem-no à realidade.

Versão XXL

As cataratas Victoria são uma das mais altas do mundo e jorram 550 milhões de litros de água por minuto.

A época do ano em que são permitidos os banhos vai de finais de agosto a janeiro (a época seca) uma vez que o caudal do rio diminui. Se assim não fosse, os banhistas precipitariam-se no vazio, por causa das correntes fortes. Se isto não é suficiente para desanimar os mais atrevidos, só resta vestir o fato de banho e dar um salto… Nunca é demais chamar a atenção para o facto de que nadar na Piscina do Diabo é uma atividade arriscada. Há sempre guias autorizados, mas é uma experiência reservada aos nadadores experimentados, porque para chegar até à piscina tem de ziguezaguear durante um pequeno pedaço para evitar as correntes do rio. Se está decido a fazê-lo, seja prudente e evite os guias não autorizados.
Uma vez chegado à beira da piscina, poderá desfrutar de uma experiência a que poucos têm acesso: apreciar uma vista panorâmica das cataratas, não só das alturas, mas também de dentro das suas águas. Pegue na máquina fotográfica aquática, esqueça a preocupação com o abismo que tem às suas costas e sorria. Já tem uma fotografia irrepetível!
Há cinco excursões diárias à Ilha Livingstone, com as quais poderá chegar à piscina diabólica. Aceitam, no máximo, grupos de 16 pessoas. Podem contratar-se a partir de praticamente qualquer hotel da Zâmbia. Embora, já que viajou até aqui, recomendamos-lhe um alojamento muito especial: The Royal Livingstone, situado na margem no rio Zambeze. É um hotel de luxo que, segundo os hóspedes, fará sentir-se como em “Memórias de África”. É uma escolha de alojamento ideal, tanto pela proximidade das cataratas, quanto pelo encanto dos seus quartos, que parecem um exótico cottage.

Artigos relacionados

O luxo mais selvagem de África

Os “cinco maiores” atrativos típicos da savana – o leão, o leopardo, o elefante, o rinoceronte e o búfalo –...

Diz-me como és e eu digo-te qual é o teu parque

O Serviço de Parques Nacionais dos Estados Unidos da América comemora 100 anos. É a melhor altura para visitar qualquer...

“A terra firme é apenas uma zona de passagem”

Não está disposto a viver longe dos oceanos. Procura “descobrir novos mares” e também as “culturas que o rodeiam”. “Analisar...

Onde o Ganges chega a África

Mark Twain escreveu que as ilhas Maurício serviram de modelo ao paraíso. O arquipélago do Índico é também o centro...