>>>Lugares para regressar ao passado
Foto: Carlos Luján

Lugares para regressar ao passado

Mercados, hotéis, lojas e restaurantes vintage onde os órfãos da máquina do tempo encontram o ambiente de épocas passadas que os faz sentirem-se em casa.
O
s jovens ingleses lançam-se sobre a Portobello Road para comprarem casacos militares e delicados vestidos eduardianos feitos à mão e, mais, para os vestiremlos em público”, referia um editorial do The New York Times em 1967. Para a sociedade consumista do pós-guerra, o usado era sinónimo de pobreza. Contudo, os jovens mod londrinos e os hippies de São Francisco encontraram nos objetos em segunda mão uma forma de reforçar a sua individualidade. Os novos movimentos musicais e sociais dos anos 60 e 70 elevaram a roupa usada a roupa com estilo.
A decoração de Laura González para a pizzaria Marguerita não é a típica imagem de um restaurante italiano.
Foto: Carlos Luján

Mercadinhos para vintage lovers

Há 15 anos que a Frock Me! Vintage Fair reúne em Chelsea Old Town Hall vestidos de estilistas dos anos 20 e 50. Os caçadores de objetos vintage em Londres também visitam, aos sábados, o Cabbages&Frocks Market, em St. Marylebone Church, e aos domingos em Brick Lane.

Desde então, jovens e menos jovens percorrem os mercadinhos londrinos de Portobello, Spitalfields ou Camden em busca de roupas usadas e objetos de outras décadas. Atores e cantores frequentam as lojas New York Vintage, Le Gioie di Bortolo, em Veneza, especializada em joias italianas, e Absolute Vintage e Retromania em Londres. A popularidade e o prestígio que atualmente a roupa e os acessórios têm, mas também a decoração, dificultam e encarecem o acesso a estes objetos. Porque o estilo vintage transformou-se em retro ou repro, ou seja, objetos novos que imitam estilos de outras épocas.
Os que invejam as despreocupadas férias dos Rockefeller e Vanderbilt podem alojar-se em The Breakers Palm Springs. Construído em 1896, nos anos 30, foi reconstruído com o Palazzo Medici de Florença como modelo. Conserva os tetos pintados por artistas italianos, os seus jardins e fontes e foram-lhe adicionadas piscinas com vistas para o oceano e um bar de estilo St. Tropez. Vintage sobre vintage.
Os mercadinhos de objetos em segunda mão são uma das ofertas de lazer mais concorridas de Londres, Roma, Paris ou Madrid.
Foto: Carlos Luján

A piscina da sereia de Hollywood

Construído em 1940, o hotel The Raleigh de Miami foi utilizado como barracão durante a Segunda Guerra Mundial e depois até como sinagoga. No entanto, continua a manter o estilo art deco que tinha quanto Esther Williams nadava na sua piscina curva, incluindo o mobiliário cor-de-rosa e os pavimentos de cerâmica.

Mas se um hotel histórico perfeitamente conservado não estiver disponível, então inventa-se. Completamente novos, estabelecimentos como o Hotel Paradis, em Paris, ou o The Siam Hotel, em Banguecoque, recriam o ambiente de outras épocas para fazer com que os seus hóspedes se sintam especiais, relativamente à uniforme funcionalidade de outros hotéis. Os nostálgicos dos jogos de vídeo retro também dispõem de um hotel especialmente concebido para eles em Amesterdão. O Arcade Hotel oferece aos seus clientes jogos de vídeo e consolas das últimas três décadas, desde Atari até Gameboy. Na entrada, simuladores de corridas de carros e máquinas de Donkey Kong e PacMan.
O hotel The Raleigh de Miami conserva o glamour dos anos 50.
A estética vintage chique tomou conta sobretudo de restaurantes e cafetarias. A mistura de paredes esburacadas, sofás Chesterfield de couro, mesas de madeira rústica e lâmpadas industriais pode ser encontrada de Copenhaga a Buenos Aires. Este estilo combina muito bem com as tendências gastronómicas da comida orgânica e de mercado. Il Tavolo Verde, em Madrid, vende tanto café orgânico como móveis.
O Marguerita St. Germain não é o típico restaurante italiano, mas uma mistura de pub e talho para amantes de pizza em Paris. O restaurante Fahrenheit, de Moscovo, é um dos preferidos dos famosos locais. Triunfa a nostalgia de tempos mais lentos, quando os objetos eram cuidados e herdados, ao invés da cada vez mais rápida obsolescência tecnológica.

Artigos relacionados

A torre dos dois mundos

A Torre de Leandro une, no rio Bósforo, a Ásia e a Europa. É um farol de lendas trágicas, onde...

Single ou não, nunca viajará sozinho

Solteiros, separados, divorciados ou viúvos, seja de que classe single for, viajar sem companhia nunca foi tão excitante.

Las Vegas aposta no vermelho

É possível visitar a ‘cidade do pecado’ sem cometer nenhum: nem se casar disfarçado de Elvis, nem jogar tudo na...

O deserto que engoliu Kolmanskop

Teve a sua época dourada durante a primeira metade do século XX, graças aos diamantes que as suas terras escondiam....