>>>Yorkshire é o domínio das Brontë

Yorkshire é o domínio das Brontë

Passaram 200 anos desde o nascimento de Charlotte Brontë, mas os campos desertos do norte de Inglaterra, como em qualquer bom romance, continuam a suspirar de amor por ela.
A
ntes de Julie Andrews levar a música para as colinas, já Charlotte Brontë as seduzira. Foi Thornton, uma pequena cidade rural do norte de Inglaterra, que viu nascer em 21 de abril de 1816 a terceira dos seis irmãos Brontë, que preferia Lord Byron às tarefas domésticas. “A literatura não pode ser o ofício de uma mulher: e não deve sê-lo”, disse-lhe numa carta o poeta Robert Southey. Ignorando-o, permitiu-se escrever uma história “comum”, “vulgar” e “pouco delicada”, segundo os críticos da época. Jane Eyre (1847) é hoje um dos clássicos mais venerados da literatura inglesa.
Em Ponden Hall é possível uma reprodução da cama de Catherine, a protagonista de O Monte dos Vendavais.

A inspiração dos lake poets

O Lake District, no condado de Cúmbria, é o maior parque nacional de Inglaterra. Na época foi um lugar muito apreciado por Charlotte Brontë (aqui conheceu a Elizabeth Gaskell, a sua biógrafa) e pelos lake poets como Robert Southey William Wordsworth e Samuel Taylor Coleridge, os primeiros poetas românticos.

“Eu não sou um pássaro, nem me enjaulam”, diz a protagonista. Já se consegue entrever o caráter passional e o gene rebelde da escritora. A relação entre o senhor Rochester, um rico latifundiário e a percetora da filha baseava-se no seu amor não correspondido por um professor casado que conheceu quando estudava em Bruxelas. Charlotte transpôs a história para a Inglaterra vitoriana e encontrou em Yorkshire uma paisagem bucólica e gótica perfeita, composta por manhãs desagradáveis e chuva que açoita as janelas. Também conhecido como “o condado de Deus” e “o jardim de Inglaterra”, é um dos maiores espaços verdes da Europa.
O cruel internato Lowood, onde Jane passou a sua infância e parte da juventude, é inspirado no Clergy Daughter’s School de Cowan Bridge (Lancashire). Aí permaneceu Charlotte em 1824 com as suas irmãs mais velhas, Maria e Elizabeth. Ambas morreram em 1825 de tuberculose. A escritora atribuiu sempre esta tragédia às péssimas condições em que viviam. O colégio foi transferido para Casterton em 1833, mas o edifício ainda mantém uma placa comemorativa em memória das irmãs.
O Lake District National Park recebe quinze milhões de visitantes por ano e conta com 12 dos maiores lagos de Inglaterra.
Foto: © Nick-Thorne
Norton Conyers localiza-se a 6 km da cidade de Ripon (a Norte de Yorkshire). Esta modesta casa de campo não esperava tornar-se referência literária. Charlotte Brontë visitou-a em 1839 e o seu interior serviu-lhe para descrever detalhadamente Thornfield Hall; mas o seu maior contributo para o romance foi a história de uma mulher que esteve encerrada no sótão 60 anos e que lhe deu a inspiração para a personagem da esposa de Rochester. Norton Conyers pode ser visitado de março a agosto.
Além de visitar Haddon Hall também é possível casar-se ali. Tem duas salas para cerimónias e jardins.
O Brontë country tem o seu coração em Haworth, onde Charlotte viveu com as suas irmãs: Emily, que escreveu O Monte dos Vendavais e Anne, autora de Agnes Grey. O Brontë Parsonage Museum é a casa-museu da família, onde as Brontë escreveram as suas obras principais. Brilhante, perspicaz e ambiciosa”, assim é definida pela romancista Tracy Chevalier, encarregada da exposição Charlotte Great & Small. Até dezembro de 2016 explora a dualidade entre a sua “vida restringida e a sua enorme ambição”. A mostra inclui objetos pessoais, como livros, sapatos, vestidos e até uma carta de amor emprestada pela Biblioteca Britânica. Uma tour VIP também permite visitar a biblioteca, normalmente fechada ao público.
“Haworth expressa as Brontë, as Brontë expressam Haworth”, dizia Virginia Woolf. O carinho desta aldeia pelas irmãs tornou-se patente em 2012, quando os habitantes doaram dinheiro, do seu próprio bolso, para que fosse restaurada a cripta da igreja na qual estão enterradas Charlotte e Emily. Também merece uma visita Ponden Hall, conhecida tradicionalmente por ser a casa dos Linton em O Monte dos Vendavais (com o nome de Thrushcross Grange). Hoje é uma bed and breakfast que oferece quartos inspirados nas irmãs mais famosas da literatura romântica.

Artigos relacionados

Deus salve o punk

“Vive depressa, morre jovem” é a filosofia punk. Contradizendo o próprio lema, o movimento não morreu e este ano Londres...

Cork ao ritmo do jazz

Cerveja preta e música. Dois dos símbolos da ilha esmeralda encontram-se no Guinness Cork Jazz Festival que, durante quatro dias,...

Verão perpétuo

É muito mais do que um restaurante. É um parque, uma esplanada, um festival de música, um sports bar. E...